Notícias

Diretores do SEEBF-PI visitaram empregados do Bradesco que alvo de explosão em Altos (PI)


João Henrique Vieira

Diretores do Sindicato dos Bancários do Piauí estiveram no município de Altos, na manhã desta terça-feira (23), com intuito de acompanhar a recuperação da agência do banco Bradesco que foi alvo de quadrilha especializada em explosão e assaltos a bancos.

Os diretores Robert Mendes e João Mariano conversaram com os empregados da agência que estão em trabalho interno, estando a agência fechada para atendimento à população. O Diretor Robert informa que a agência tem de 30 a 40 dias para que volte funcionar normal, mas o Sindicato vai ficar vigilante.

“Três caixas foram explodidos, o teto danificado e no lugar das portas de vidro quebradas foram colocados tapumes de madeira. A agência está em fase de recuperação. Já colocaram telhado e agora estão colocando forro. Tem um prazo de 30 a 40 dias para ser reaberta e voltar a funcionar normalmente. Foi colocado um aviso na porta da agência e os clientes estão se deslocando para Teresina ou Campo Maior, que são as agências mais próximas. Os clientes estão cientes desse prazo e os funcionários trabalhando internamente”, afirmou o diretor Robert.

O caso

Na madrugada do último dia 12 de janeiro, cerca de sete bandidos explodiram três caixas eletrônicos e deixaram a agência parcialmente destruída. Os bandidos trocaram tiros com a polícia e fugiram. Até o momento ninguém foi preso.

Lei de Segurança Bancária

O Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF-PI) reitera que repetidas vezes tem lutado e reivindicado para que os bancos garantam melhores condições de trabalho e segurança para seus empregados e clientes. O sindicato vem cobrando a efetiva implementação da Lei de Segurança Bancária (Lei 6168 de 2012 / Deputada Flora Izabel), que estabelece vários dispositivos de segurança, entre os quais o monitoramento eletrônico 24horas pela polícia militar.

É preciso cobrar dos bancos melhorias na segurança e uma satisfação à sociedade, visto que os bancos nunca se pronunciam e nem dão satisfação à sociedade, nem melhorias na segurança, apesar dos enormes lucros que acumulam.