Notícias

Caravanas visitam agências no Sul do Piauí para informar bancários sobre campanha, reforma trabalhista e terceirização


Como forma de manter a categoria bancária informada acerca da Campanha Salarial, bem como as mudanças com relação à reforma trabalhista e terceirização, o Sindicato dos Bancários do Piauí destacou duas caravanas para visitar no período de 07 a 10/11 as agências bancárias da Regional Mel, no Sul do Piauí.

A primeira caravana formada pelos diretores Gilberto Machado, Odaly Medeiros , Lusemir Carvalho e Emiliano Filho esteve nas cidades de Elesbão Veloso, Valença, Santa Cruz e Inhuma. Enquanto a segunda, com Arimatéa Passos, Chico Reis, Hortência Oliveira e Raimundo Nonato (Neide), foi até Picos, Paulistana, Simões, Pio IX, Fronteiras e Francisco Santos.

De acordo com Hortência Oliveira, diretora de Imprensa e Comunicação, durante as reuniões com empregados da Caixa, foi o momento de defender a união de todos contra o desmonte dos bancos públicos. “São essenciais para a sobrevivência dos brasileiros, através das áreas de educação, habitação, saneamento básico, infraestrutura, agricultura, esporte e cultura, enfim, para a vida dos trabalhadores em geral”, frisa.

Ela disse que os bancos públicos são responsáveis pelo desenvolvimento social do país, principalmente no Nordeste, por ser uma região esquecida. “É preciso uma conscientização geral para que as pessoas deixem a sua zona de conforto e vão à luta. O momento é de acordar e não podemos nos acomodar, afinal, o governo quer fatiar o banco e entregar à iniciativa privada”, conclui a sindicalista.

O vice-presidente Odaly Medeiros defendeu o enfrentamento dos bancários para evitar a retirada de direitos conquistados ao longo dos anos de luta. “Quero manifestar meu repúdio ao governo ilegítimo e golpista, além de colocar o SEEBF-PI e o setor jurídico a serviço dos bancários, pois só a luta nos garante”, diz.

No BNB, a diretora Lusemir Carvalho esclareceu que está sendo passado um ‘rolo compressor’ em cima dos trabalhadores, “pois o governo está retirando direitos, está privatizando e vendendo o Brasil, e estamos no meio disso tudo”, pondera, conclamando todos a se unirem nessa luta em defesa dos trabalhadores.

Ela destacou a audiência pública que deve acontecer no próximo dia 28/11, em Teresina, que deve envolver membros da Contraf-CUT, sindicatos, Fenae, prefeitos, vereadores, deputados, senadores e governadores, enfim, a representação dos trabalhadores. “É preciso mostrar à sociedade os riscos que estão correndo e intensificar a luta em defesa dos bancos públicos”, pondera Lusemir.

Por sua vez, o presidente do SEEBF-PI, Arimatéa Passos, avaliou positivamente as visitas, “primeiro porque estamos levando a mensagem da campanha salarial deste ano, como está se processando; segundo, por estarmos levando a mensagem da reforma trabalhista e terceirização, tentando despertar os bancários da região a participarem mais da vida do sindicato e olhem com mais interesse para suas carreiras, pois a reforma trabalhista vai influenciar sobre maneira as formas de trabalho”, explica.

Ele acrescentou, ainda, que “a reforma trabalhista só dá direito aos patrões e retira direitos dos empregados, além de dificultar o acesso à Justiça do Trabalho, que seria o mediador”, esclarece Arimatéa, destacando a receptividade dos bancários com a presença dos diretores do SEEBF-PI, “até porque eles ficam carentes de informações”.

Para finalizar, o presidente informou que na próxima semana as visitas continuam, sendo que desta vez a caravana irá visitar a regional de Parnaíba e em seguida será a vez do extremo Sul do Piauí, mais precisamente em Bom Jesus, Corrente e Curimatá.