Notícias

Em reunião no BNB diretores do SEEBF-PI esclarecem pontos sobre novo modelo de agência


João Henrique Vieira

Para esclarecer detalhes sobre o processo de reestruturação e implantação de novo modelo de agências apresentado pelo Banco do Nordeste – que no Piauí começará nas agências de Picos e Parnaíba – diretores do Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF-PI) participaram de reunião na Superintendência do BNB no Piauí na quarta-feira (07/08), quando foi a presentado, de forma geral, o projeto que já vem sendo trabalhado desde 2012 e que, segundo a visão do banco, busca a modernização digital. O projeto iniciou com uma agência piloto em Fortaleza, mas requer o acompanhamento passo a passo do Sindicato para que nenhum funcionário seja prejudicado com redução remuneração, transferência compulsória ou piora nas condições de trabalho.

No Piauí a reestruturação começará a partir de outubro de 2017 e seguirá até outubro de 2018 quando, segundo o banco, já terá sido implantado em todo o Estado. A previsão é que até 2019 todas as capitais já estejam adequadas ao novo modelo em que, de acordo com o banco, o tipo de negócio definirá a estrutura da agência. Por exemplo, em Picos haverá gerente de recuperação de crédito, devido ao perfil da agência.

“Haverá uma segmentação em relação a funções. No Piauí o impacto não vai ser muito grandioso no sentido de diminuir funções, na verdade, a gente vai ter aumento de uma função de Gerente de recuperação de crédito em Picos, e um Gerente de negócios Pronaf em Parnaíba, vaga que não estava suprida. Em Picos vão ser criadas quatro novas vagas, mas hoje tem um excesso, então, na prática vão ser três novas vagas, em Parnaíba também terão três novas vagas”, explicou Katyuscya Paula Duarte, da Gerência Executiva do BNB no Piauí.

O presidente do SEEBF-PI, Arimatea Passos, ressalta que o Sindicato acompanha o processo, sempre na defesa do funcionário. “Nossa preocupação sempre foi e sempre será saber como ficarão as pessoas. Nos preocupamos com a redução de agências, redução de função, a objetividade no atendimento às pessoas. Vamos acompanhar integralmente o decorrer dos acontecimentos e esperamos que ao final ninguém tenha sido prejudicado. A expectativa que nos foi mostrada é que vão abrir vagas em Parnaíba e Picos. Vamos acompanhar para que os funcionários que estejam lá não sejam prejudicados ou percam sua função”, afirmou Arimatea.

Novo modelo

Segundo esse novo modelo, haverá uma readequação das agências de acordo com as demandas. O novo modelo terá quatro áreas específicas – área de negócios, atendimento, administração e logística, e suporte negocial – e cada uma com um gerente de atendimento. Todas as agências terão esse novo modelo com essas quatro áreas, até outubro de 2019. Sobre esse caminho do banco para o atendimento digital, o banco reconhece que o perfil de sua clientela não tem o perfil para atendimento digital, mesmo assim o banco está se adaptando a uma realidade.

O assessor da Contraf-CUT, Marcus Vandaí, reconhece que no caso do BNB há um diálogo melhor com os trabalhadores, sendo que desde 2014 o banco vem dialogando sobre esse processo com a Comissão Nacional de Empresa, mas de modo geral esse caminho gera prejuízos e enfraquecimento dos bancos públicos. “Sabemos, e a reunião esclareceu isso, que no Piauí esse processo é até menos traumático, mas nós precisamos nos juntar na defesa do Banco do Nordeste como um todo. O que a gente pode fazer aqui é minimizar os impactos disso e o banco está dialogando com o Sindicato, isso é um ponto positivo neste processo, mas nossa posição é contrária a qualquer medida que parta desse governo ilegítimo que não coloca em primeiro plano os interesses do povo brasileiro, nem dos trabalhadores”, disse.

A diretora Lusemir Carvalho lembra que apesar de, a princípio, o Piauí não sofrer grande impacto, a situação é preocupante. “O Piauí está de certa forma numa situação confortável, mas é muito preocupante porque a gente sabe que essa reestruturação trará prejuízos para alguns funcionários, que perderão comissões. Faremos um ato e reuniões nas agências para colocar os funcionários a par da situação. Quando iniciar a reestruturação nas demais agências do Estado como um todo, nós certamente teremos prejuízos. É importante sensibilizar os funcionários sobre a situação que vivenciamos. Com enfraquecimento dos bancos públicos, para depois privatizar. É preocupante e é preciso que os funcionários se unam na defesa do emprego e dos direitos dos trabalhadores que é primordial”, alerta Lusemir Carvalho.

Próximos Passos

O Sindicato dos Bancários do Piauí solicitou nova reunião com o banco, após a volta dos gerentes que estão em curso de formação em Fortaleza, e que serão os facilitadores na implementação desse novo modelo no Piauí. “Na próxima semana teremos nova reunião para de fato explicarem como será esse processo em Parnaíba e Picos e em todas as outras agências. Nessa primeira reunião conhecemos mais os aspectos gerais. A posição do Sindicato é acompanhar passo a passo a implantação dessa reestruturação, para que ninguém sofra nenhum prejuízo” afirmou Arimate Passos, presidente do SEEBF-PI.  

Realocação de Funcionários

Em relação aos 151 empregados impactados pelo fechamento de agências do BNB, ainda há 97 que precisam ser realocados, segundo os últimos dados informados pelo banco [agosto de 2017]. Esses funcionários disputarão vagas, seguindo critérios como ranqueamento, entre outros.