Notícias

33º Conecef defende unidade e resistência em defesa da Caixa como um banco público


Divulgação

Unidade e resistência em defesa da Caixa como banco 100% público foi o norte dos debates durante o 33º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa realizado entre os dias 30 de junho e 2 de julho, em São Paulo, reunindo empregados e aposentados da Caixa de todos os Estados do país. Os dirigentes sindicais e do movimento associativo reforçaram a necessidade de defesa contra a nova ofensiva neoliberal que ataca as empresas públicas e os direitos trabalhistas. O Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF-PI) esteve representado pelo vice-presidente Odaly Medeiros; a diretora de Comunicação Hortência Oliveira, diretor Roger Marinho; além dos bancários Rita de Cássia e Emerson Alves.

Com um total de 316 delegados; dentre os quais 165 homens (52%) e 151 mulheres (48%), o 33º Conecef foi dividido em mesas temáticas sobre: defesa da Caixa, condições de trabalho, Saúde Caixa, Funcef, reformar trabalhista e previdenciária e contratação. O presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira destacou a necessidade de resistência. “Este Conecef aconteceu em um momento difícil, de retirada dos direitos dos trabalhadores, ataques às empresas públicas e à Caixa. Os empregados precisam estar atentos e fazer a resistência em defesa do banco. Queremos uma empresa sólida e que respeite os direitos dos seus trabalhadores”, destacou Jair.

O vice-presidente do SEEBF-PI, Odaly Medeiros, ressalta a necessidade de luta na base. “Aprovamos proposta para que o pessoal da Caixa possa discutir na base uma mobilização contra as reformas da previdência e trabalhista. Não podemos assistir de camarote a tudo isso. Vamos debater dentro das unidades, mobilizar e levar informações”, afirmou Odaly. Já a diretora de Comunicação do SEEBF-PI, Hortência Oliveira enfatizou a necessidade de unidade de toda a categoria. “Um ponto alto foi que os trabalhadores da Caixa e aposentados aprovaram uma moção defendendo a campanha ‘Contencioso: essa dívida é da Caixa’, além de pontos importantes defendendo os direitos dos participantes da Funcef. Com relação à Saúde Caixa, precisamos estar sempre vigilante aos ataques constantes. Precisamos estar cada vez mais unidos, envolvendo também os aposentados nessa luta contra a retirada de direitos, porque realmente só a luta nos garante”.

Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos

Resistência foi o ponto fundamental defendido durante a abertura do 33º Conecef e do 28º Congresso do Banco do Brasil, que aconteceram conjuntamente, quando logo após foi lançada a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos, com participação de diversos parlamentares. O projeto de criação da Frente é de autoria do senador Lindenberg Farias (PT/RJ), que destacou a importância dos bancos públicos para o desenvolvimento do Brasil. “Não existe projeto de desenvolvimento nacional sem a participação dos bancos públicos", destacou o senador.  

Odaly Medeiros, vice-presidente do SEEBF-PI, afirma o compromisso e a necessidade de um comitê em âmbito estadual, com o mesmo propósito. “Estamos construindo um comitê em defesa dos bancos públicos no âmbito estadual. Aprovamos o convite a prefeitos, vereadores, governadores e deputados estaduais. Assim como a Frente no congresso, queremos construir esse comitê também nos Estados. As ações que debatemos nesse congresso, nós vamos colocar em prática nos Estados”, afirmou Odaly.

Já o presidente da Contraf-CUT, Roberto von der Osten, destacou a necessidade de organização e defesa dos direitos trabalhistas e dos bancos público. “Somos uma categoria extremamente organizada e aguerrida. A primeira que se movimentou depois do golpe ocorrido no ano passado, que, com uma greve de 31 dias, arrancou uma convenção de dois anos já prevendo a dura realidade que íamos enfrentar. Vamos mostrar para o Congresso Nacional que a população não os aceita e não quer saber de retirada de direitos, porque direito não se retira, se amplia", disse von der Osten.

“Contencioso: Essa dívida é da Caixa”

Em plenária foi aprovada moção defendendo a campanha “Contencioso: Essa dívida é da Caixa", e outros eixos como a realização de campanha nacional em defesa da Caixa 100% Pública, não às reformas trabalhista e previdenciária, Fora Temer e Diretas Já. “Vamos implementar a campanha em todas as nossas bases, levando aos empregados da Caixa a mensagem e conclamando todos a se juntarem nessa luta”, destacaram os delegados e as delegadas do 33º Conecef.  No documento elaborada, constam ainda outros encaminhamentos relacionados à gestão da Funcef, com garantia de eleições diretas com regras democráticas e democratização da gestão.

Resoluções

Outros pontos apontados foram: condições dignas de trabalho e retomada das contratações, intensificar a mobilização contra o processo de reestruturação, o assédio moral e sexual, e Não a Verticalização. Também deliberaram, por unanimidade, Não ao trabalho aos sábados e posição contrária ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 203/2017,  do senador Roberto Muniz (PP/BA), que revoga a Lei, 41788/62 que proíbe a abertura de bancos aos sábados. Também defenderam a implantação de programas de prevenção de doenças do trabalho e definição de políticas de saúde mental; entre outros pontos.

 

Com informações Fenae e SEEBF-PI